Desde a reabertura do salão de artesanato, em abril deste ano, os trabalhos de mais de 50 artesãos puderam ser valorizados, isto porque, o prédio ganhou nova pintura, todo o teto foi reposto, melhorias na parte elétrica, novas portas – incluindo as portas de vidro –, ar condicionado, móveis novos e revestimento no piso. Os artesãos já puderam sentir uma grande diferença no que diz respeito às exposições e comercializações dos seus produtos. Da reabertura, até o início deste mês, quase 150 peças foram vendidas. Uma saída de 30 a 50 produtos artesanais mensalmente.

A artesã Gracilene Farias, que trabalha desde os seus 14 anos com peças de crochê e ponto cruz, conta que as encomendas dos produtos aumentaram diante do novo espaço físico.
“Estou feliz pela nova cara que o nosso salão trouxe para a cidade de Lagoa Seca. Com um espaço climatizado e atrativo, as nossas peças estão tendo uma saída maior. Além disso, estou super ansiosa com a Festa do Artesanato que ocorrerá novamente este ano. Participei no ano passado e este ano quero trazer inovações com os meus produtos de crochê e ponto cruz”, comentou a artesã.

Lourdes Acioli, que só mora há 06 meses na cidade de Lagoa Seca, disse que tomou conhecimento da Festa do Artesanato em uma transmissão ao vivo na página da prefeitura no Facebook
“Ano passado eu estava morando em São Paulo. Daí, a minha irmã que já morava aqui em Lagoa Seca pediu que eu acompanhasse a festa pela página da prefeitura na rede social. Fiquei encantada com a possibilidade de voltar para a Paraíba e trabalhar com aquilo que mais amo. Então, quando houve a reabertura do salão, eu vim e fiz o meu cadastro de associada. Aqui, nós temos um espaço organizado e uma equipe que trabalha em prol uma da outra. Cada uma se ajuda, e assim, fazemos a diferença na nossa cidade”, disse.

Perguntada sobre a expectativa da Festa do Artesanato, Lourdes falou que procura trazer novidades para o evento deste ano
“Eu e as demais colegas que aqui estão, nos planejamos e procuramos vir a cada dia com uma peça nova, diferente, mais atrativa. No que diz respeito à Festa do Artesanato deste ano, eu quero inovar com peças endurecidas de crochê. Eu percebi que este tipo de peça não se vê muito por aqui, então, quero ser uma iniciadora dos trabalhos com o crochê endurecido, onde podemos ter jarros, cestas e muito mais”, comentou.

A também artesã Zélia Oliveira, disse que a reabertura trouxe um conforto para todos os artesãos. Ela e tantos outros tinham que sair nas casas vendendo as suas peças por uma falta de local fixo para poder comercializar os produtos
“Eu saía de sol em sol vendendo as minhas peças. Eu gostava porque amo o que faço, mas sempre sonhei com um local fixo onde pudéssemos expor e comercializar os nossos produtos. Quando eu soube que o salão ia ser reaberto, saltei de felicidade. Hoje tenho tranquilidade na minha vida, pois cuido da minha casa sossegada e sei que as minhas peças de artesanato têm um local para serem vendidas. Não vejo a hora de chegar a festa deste ano. Vou trazer novidades, mas será surpresa”, comentou entre risadas uma das artesãs mais conhecidas da cidade.

A Festa do Artesanato acontece de 29 de agosto a 01 de setembro, em Lagoa Seca. Solteirões do Forró, Eliane, Márcia Fellipe e tantos outros artistas prometem animar as noites culturais e festivas da cidade.
O Salão de Artesanato fica localizado na Rua Cícero Faustino da Silva – Centro, e tem expediente de segunda a sábado, das 8h até as 11h da manhã, e no horário da tarde, das 13h às 17h.