Na última quarta-feira (10), a Prefeitura de Lagoa Seca/PB através da Secretaria de Saúde realizou a 6ª Conferência Municipal de Saúde, que teve como tema “Democracia e Saúde: saúde com direito, consolidação e financiamento do SUS”. O evento começou às 08h da manhã e seguiu até às 17h, e contou com a presença de mais de 200 pessoas, dentre elas: profissionais da saúde, vereadores, coordenadores, funcionários e colaboradores de outras secretarias.

O objetivo principal da Conferência Municipal foi criar propostas consistentes para a melhoria do Sistema Único de Saúde (SUS), onde a sociedade pôde participar e discutir as ações inerentes à saúde pública. Segundo o secretário de Saúde, Iran Barbosa, muita coisa mudou desde a última conferência. “Há quatro anos tínhamos uma saúde doente, debilitada, arcaica e sofrida, diferente do que vemos hoje; não pelos nossos profissionais que são altamente preparados e capacitados, mas pela falta de qualidade nos serviços. Nessa nova gestão, buscarmos melhorar não apenas o serviço, mas o ambiente de trabalho, e isso não é fácil com o novo financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS). Por isso, essa Conferência é de suma importância para discutir e cobrar melhorias nesse sistema”, explicou.

Na ocasião, houve uma palestra sobre o tema principal, ministrada pela psicóloga Joseneida Remígio. Após a palestra, os presentes foram divididos em três eixos temáticos, afim de discutir novas propostas de melhoria da saúde, havendo uma votação ao final da apresentação das melhores ideias para ser levadas a Conferência Estadual que acontece nos dias 04, 05 e 06 de junho, em João Pessoa. Ao fim do evento, foram definidos os delegados que irão participar desta etapa estadual.

Na oportunidade, o prefeito Fábio Ramalho falou da importância dessa participação efetiva do município nas propostas futuras na área de saúde. “A população atual precisa ainda mais de serviços de saúde de qualidade, e a receita está diminuindo e as despesas aumentando. Vivemos com déficit em nossos recursos, e não podemos fazer uma prévia para garantir um gasto mensal, pois não conseguimos ter um controle de quantas pessoas usarão o hospital diariamente. Por isso, participar de momentos importantes como a conferência nos dá a possibilidade de buscar, democraticamente, direitos, aquilo que garantido na Constituição, e dessa forma, conseguir gerir mudanças e propostas positivas para ações futuras”, enfatizou.