Mais uma vez, a parceria entre a Prefeitura de Lagoa Seca com a Escola Agrícola Assis Chateaubriand, campus II, da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), localizada na área rural da cidade, vai gerar bons resultados. É que estão abertas as inscrições para os cursos técnicos em agroindústria e agropecuária.

Interessados em ingressar em agroindústria devem estar cursando ou ter concluído o ensino médio/superior. 80 vagas estão ofertadas. O profissional poderá atuar em unidades de produção e cadeias produtivas em empresas do ramo alimentício, com domínios nos processos industriais nas áreas de beneficiamento, transformação, conservação e controle de qualidade dos alimentos.

Já para quem quer adentrar no ramo da agropecuária, terá que obedecer o único pré-requisito exigido, o de ter o ensino fundamental completo. Para o curso em questão, estão disponíveis 150 vagas. O profissional poderá atuar em atividades ligadas à agricultura, pecuária e à administração rural nas áreas de culturas anuais, perenes, fruticultura, controle fitossanitário, produção de mudas, topografia e irrigação.

As matrículas, assim como os cursos, são gratuitas. Para saber de outros detalhes, o interessado poderá comparecer à Escola Agrícola Assis Chateaubriand, na Vila Florestal, de segunda a sexta, ou entrar em contato pelos telefones: 3366-1244 e 3366-1297. Com as aulas começando no próximo dia 17, haverão turmas nos turnos da manhã e tarde.

A boa relação das instituições vem desde do início da gestão do prefeito Fábio Ramalho. Ambas, em sintonia, realizam atividades que ganham destaque, seja em trabalhos com o homem do campo quanto nas condições de uma vida social melhor, como é o caso de alunos de Lagoa Seca que fazem parte da Universidade Aberta à Maturidade (UAMA), onde ganha um apoio da atual administração municipal.

Outros trabalhos envolvendo a prefeitura e o campus II da UEPB, em Lagoa Seca, também têm grande contribuição na vida do lagoassequense. Registra-se a distribuição de mudas pela universidade, através do viveiro florestal, onde são plantadas árvores em praças e calçadas do município. Outro ponto que merece ênfase são os cursos ministrados a agricultores da região, como o de abate e corte da carne de coelhos e a produção de embutidos, mostrando a eles como é possível aumentar a renda familiar com a iguaria. Por fim, oficina de música ofertada à população da Vila Florestal. A prefeitura envia um professor e as aulas são realizadas no campus da universidade. A estimativa é que a oficina volte a ocorrer este ano.